FILMES

[Filme] Colheita Maldita: Genesis (2011)

Não sei como começar a falar mal deste filme, sério. Confundi ele com A Colheita Maldita, que ia assistir depois de, sei lá, um século de lançamento e… minha nossa senhora dos filmes mal feitos, quem escreveu, atuou, editou e filmou este filme perdeu o meu respeito para o resto da vida.
Vou avisar aqui que esta resenha tem uma moral, sim, e ela é: esse filme é muito ruim. Se você quiser saber um pouco mais para concordar, continue lendo. Senão, temos um vasto acervo de filmes de terror para você apreciar na nossa lista de resenhas.
Não, não chega a ser um dos piores filmes que eu já vi na minha vida, mas chega bem perto, está no top 5. Vou tentar falar um pouco dele sem dar Spoilers, mas se eu der não fiquem bravos, eu realmente espero que ninguém mais perca 95 minutos da sua vida vendo tamanha falha do cinema.
O filme começa com um jovem chegando de seu serviço no exército e encontrando sua família inteira massacrada em sua casa. Ele vê uma menina correndo e a confronta, ela o esfaqueia, ele cai do segundo andar e é cercado por crianças da vizinhança, sim, porque isso faz todo o sentido.
Alguns anos depois uma jovem bonita e seu marido estão meio de uma estrada de terra, o carro está quebrado e eles esperam que alguém passe pela estrada para ajudá-los. De repente o marido extremamente inteligente resolve se levantar e olhar em volta, e advinha? Alguns postes de telefone indicam uma casa. Sim, ele esperou UMA HORA num sol escaldante, com a mulher grávida, sentados no meio da estrada para finalmente levantar e ver se tinha alguma alma viva vivendo ao redor. Por quê? Porque isso faz sentido.
Eles seguem até a casa e, após espancar a porta, um velho esquisito atende com sua esposa incrivelmente sexy. Sim, o cara mora no meio do nada, é velho, é feio e tem uma esposa ucraniana de dar inveja a qualquer Brad Pitt. E advinha? Ele é o cara que caiu do telhado depois de ser esfaqueado por uma menina! Desculpe pelo Spoiler, não assista!
Ok, chazinho pra lá, esposa do velho pegando nas partes mais inglesas do marido da jovem grávida pra cá (convenhamos, com um marido estranho daqueles, qualquer uma), eles tentam pedir ajuda mas a primeira opção é muito cara e a segunda opção demora. Eles resolvem ficar na casa do velho extremamente estranho! Sim, porque isso faz sentido.
Moral da história? Tem um menino maluco com super poderes na casa que quer o filho da mulher para fazer parte do seu clã infantil maligno que mata adultos e os pendura no milharal. Ufa, cansei de escrever tanta coisa que “faz” sentido.
Sério, roteiro ruim (se você ainda não percebeu), cenário deplorável, duas mulheres muito bonitas, atores padrão malhação de qualidade e… um fim tão ruim, mas tão ruim que eu juro pra vocês que eu achei que o filme estava cortado na metade. Mas não estava, para minha tristeza… ou felicidade.
Sério, não assista. E se você é daqueles que gosta de assistir o que os outros não recomendam, assista!(não, sério, não assista!)
LIVROS

[Livro] O Iluminado, Stephen King

Nunca acreditei muito que pudesse existir realmente um livro de terror que colocasse medo em alguém e o fizesse tomar sustos como em um filme. Bom eu estava errado.

O livro é bastante antigo sim e traz o que acredito ser o pior tipo de terror, aquele que faz você ficar em suspense o tempo todo, torcendo pelo personagem e prendendo a respiração só esperando o que vai acontecer a seguir.

Obviamente é um livro e não se deve esperar grandes sustos como assistir um filme com monstros, demônio ou fantasmas (apesar que dependendo da parte da leitura um barulho estranho na cozinha pode causar um susto legal) e o melhor é que é um livro de leitura de fácil compreensão e a história se desenvolve facilmente (a não ser nas primeiras 60 ou 70 páginas onde todos os personagens são apresentados e etc, mas todos os livros são assim então não há o que fazer).

O tempo todo você torce para que tudo dê certo, para que todos possam sair dali, para que talvez tudo não passe da imaginação dos personagens, para que Jack salve sua família e não caia na “hipnose” do hotel, para que Danny consiga de alguma forma usar sua “luz” para destruir o hotel, sem contar o fato de você querer descobrir o significado do “REDRUM” (para os brasileiros é mais difícil mas eu consegui sacar antes de ser “revelado” no livro).

Acredito que o personagem menos carismático do livro acabou sendo a mãe (Wendy) que acaba tendo uma personalidade bastante confusa, tendo em alguns pontos do livro amor pelo marido, em outros parece odiá-lo e acaba sendo bastante “chata” por assim dizer.

Além disso o livro é responsável por pelo menos duas partes que acabaram sendo imortalizadas no filme lançado dez anos depois, [spoiler alert] tendo Jack com a cara e um sorriso psicótico em uma abertura feita por ele na porta onde Wendy tentava se proteger e Danny encontrando dois fantasmas no corredor com seu triciclo, sendo cenas clássicas dos filmes de terror de todos os tempos, mas que acredito acabam assustando ainda mais quando você as lê no silêncio da noite e imagina o terror dos personagens.

Acredito que esse livro seja sem dúvida uma obra prima de Stephen King e uma leitura que não pode faltar para os apaixonados por terror.