FILMES

[Filme] Resident Evil

Gente bonita, como vocês estão? Eu também estou bem (caso tenham perguntado). Estou aqui para deixar minha singela contribuição para o especial de Halloween do blog. Confesso que nunca fui um grande “assistidor” de filmes de terror (por opção, já que eu prefiro a boa e velha comédia), mas também sou viciado em vídeo games e por isso acompanho a saga Resident Evil desde o primeiro filme até o sexto (que ainda nem foi lançado). Por isso eu decide fazer uma super resenha tamanho família com todos os filmes. Pegue o suquinho, água, refri (sei lá o que você bebe) e um lanche por que vai ser uma longa leitura (ou então leia um por dia).
Resident Evil

 

Resident Evil: O Hóspede Maldito
Ano de lançamento: 2002
Gênero: Terror
Resenha:
Bom o primeiro filme baseado na franquia de jogos Resident Evil foi lançado já há mais de 10 anos, mas depois de ter assistido ele esses dias (mês passado eu acho) eu vi que ele tem uma qualidade muito boa.
O filme se passa em torno de Alice (Milla Jovovich), que acorda em uma casa sem roupa (fato esse que os produtores safadenhos vão fazer acontecer sempre que puderem nos filmes seguintes hehehehe) e sem memória alguma de quem é, onde está ou o que aconteceu.
Logo no começo ainda uma unidade da Umbrella chega na mansão e explica que precisam descer por uma passagem secreta da mansão (que é a entrada) para um laboratório super secreto da Umbrella, chamado carinhosamente de Colmeia. Todos os personagens vão aparecendo logo no começo. A missão inicial do time da Umbrella era desativar um super computador chamado Rainha Vermelha, que estava matando todos no laboratório. Mas descobre-se que o computador fez isso apenas para evitar que o vírus se espalhasse para a superfície e eles tem pouco tempo para religá-lo e fugir antes que o mundo exterior seja afetado.
O filme então usa a fórmula clássica de filmes de terror, quando os personagens começam a morrer aos poucos em “acidentes” dentro do laboratório. Também surge a simpatia entre Alice e Matt (Eric Mabius), quase um romance (dentro do possível em um laboratório infestado de monstros e um computador pouco amistoso).
Mesmo não tendo a palavra “Zumbi” em nenhum momento do filme, apenas “monstros” (falta de consideração) os ZUMBIS foram muito bem feitos, principalmente os cachorros zumbis (que não poderiam faltar no filme, já que eram o grande pesadelo nos jogos, assim como foram no filme um dos piores zumbis para se encontrar).[Spoiler Alert] Ao final Alice é capturada junto com o outro sobrevivente (eu não vou falar quem) pela Umbrella que faz experimentos nela e seu companheiro. Alice acaba acordando em um hospital em Raccoon City e ao sair encontra a cidade devastada (dando a entrada para o próximo filme).
No geral o filme é bom (um dos melhores da saga na minha opinião) com o famoso assassinato em um de cada vez da turma e alguns sustos previsíveis em momentos de tensão (aqueles que você se prepara para não ser pego de surpresa mas mesmo assim assusta).
Os números do filme também refletem o sucesso dele, faturando pouco mais de $100.000,00 com um orçamento de aproximadamente $33.000,00.
Como eu disse não sou um dos maiores fãs de filme de terror, mas esse filme na minha opinião é um dos poucos filmes que me agradam nesse gênero e eu recomendo muito.
Resident Evil: Apocalypse

 

Resident Evil 2: Apocalipse
Ano de lançamento: 2004
Gênero: Terror
Resenha:
O filme começa exatamente onde o primeiro termina, ou seja, com Alice descobrindo a cidade de Raccoon City totalmente destruída por causa do T-Vírus.
Alice começa a vasculhar a cidade e uma forma de sair dali logo e encontra alguns sobreviventes, como Jill Valentine (Sienna Guillory, que realmente me impressionou pela aparência parecida com a Jill Valentine dos jogos) e Carlos Oliveira (Oded Fehr) um agente da Umbrella deixado para trás.
Uma das melhores cenas do filme acontece na primeira metade quando o grupo se refugia em uma capela depois de passar por um cemitério (sério? um apocalipse zumbi ocorrendo e essa galera vai pro cemitério se esconder?).
O grupo tenta a princípio fugir da cidade, mas acaba descobrindo que a quarentena da Umbrella será impossível de furar por terra. Eles recebem a proposta de um cientista da Umbrella, Dr. Charles Ashford, para resgatarem sua filha que está refugiada em uma escola e em troca ele tira todos da cidade com seu helicóptero.
Nada é fácil e lindo em um filme de terror, então além dos zumbis tradicionais (que a propósito estão aos montes na escola onde a garota a ser resgatada está) também temos o simpático Nemesis (que nos jogos da franquia apareceu em Resident Evil 3: Nemesis, como o principal vilão, muito fdp por sinal) que mata todo mundo com sua metralhadora muito simpática.
O grupo consegue chegar a escola (o clima mais pesado do filme, com cenas silenciosas e sustos a qualquer momento podem acontecer) e eles conseguem encontrar a garotinha e fugir de lá.
O final do filme eu achei sensacional com a esperada luta corpo a corpo de Alice contra Nemesis (as duas maiores “armas” criadas pela Umbrella) e um final certamente inesperado.
Como também não podia faltar, no final do filme Alice aparece nas instalações da Umbrella sendo “examinada” pelo dr. Isaacs e novamente sem roupa (pra alegria da nação masculina novamente hehehehe).
Na minha opinião esse foi o melhor filme entre os cinco já lançados até agora por conseguir ser fiel dentro do possível a ideologia dos jogos e com boas atuações, ambientações (o cemitério é o melhor hehehehe), além do simpático Nemesis (que não me deixou dormir depois porque me deixou com medo na época desgraça hehehe eu jurava que ele estava vindo me pegar com sua metralhadora e aquele sorriso simpático que só ele tem).
Resident Evil: Extinction
Resident Evil 3: A Extinção
Ano de Lançamento: 2007
Gênero: Terror (na verdade ação)
Resenha:
Esse é o filme que eu mais assisti de todos da saga até hoje (de tanto que passa na TV) e é onde eu acho que os filmes da saga começaram a se perder (infelizmente).
O início do filme mostra os experimentos da Umbrella, conduzidos pelo dr. Isaacs em conseguir clonar Alice, mas até agora sem sucesso. Eles querem esse clone para conseguir uma cura que estaria no sangue de Alice, já que de alguma forma o organismo dela aceitou o T-Vírus e lhe garantiu super poderes e habilidade (WTF?).
Enquanto isso Alice viaja pelos EUA, fugindo da Umbrella e em busca de um abrigo. Ela encontra um diário que diz que o Alasca é seguro e o vírus não chegou até la. Em sua viagem rumo ao Alasca ela encontra um comboio de sobreviventes liderados por Claire Redfield (Ali Larter) e Carlos Oliveira em uma das cenas mais marcantes do filme, quando ela salva todos de uma forma pouco convencional (e que eu achei apelativa e desnecessária de ter sido colocado no RE). Eles decidem ir todos juntos para o Alasca, a última esperança de escapar do pesadelo.
Mas é claro, como eu já disse antes, nada é lindo e maravilhosamente fácil (afinal não teriam cinco filmes se esse fosse o caso). Eles precisam pegar suprimentos para a grande viagem que farão, e a última fonte de recursos na região é a grande Las Vegas. O problema é que como Vegas era cheia de gente isso significa que agora é cheia de nossos amiguinhos zumbis, que estão sedentos por um bife mal passado (se é que me entendem).
Ao chegar lá tem uma armadilha para eles (preparada pela Umbrella) e muitos do comboio acabam morrendo o que dificulta as coisas.
No final eles percebem que só há um modo de conseguir ir para o Alasca, ou seja, voando. Um dos personagens (não vou dizer qual) acaba se sacrificando para que o grupo consiga um helicóptero e Alice vai atrás de Isaacs que decidiu igualar um pouco o nível da luta.
Acredito que o grande problema de Resident Evil 3 é exatamente a falta de momentos de tensão, momentos de susto, que é o que todos os fãs da saga de jogos e os fãs dos filmes esperam de uma super produção de um filme que é denominado terror. Por isso eu digo, RE 3 é um bom filme de ação, mas em parte alguma é terror, mesmo tendo zumbis.
Resident Evil: Afterlife

 

Resident Evil 4: Recomeço
Ano de Lançamento: 2010
Gênero: “Terror” e Ação
Resenha:
O ponto forte deste filme é o cenário muito bem feito (e sem tantos dias ensolarados e quentes como em Extinction), além é claro da aparição de Chris Redfield (o principal protagonista dos jogos e que ainda não tinha aparecido em nenhum filme), além da volta de Claire (irmã de Chris), Albert Wesker e Jill Valentine.
Tudo começa com Alice invadindo a sede da Umbrella em Tokyo e destruindo um exército sozinha graças aos seus super poderes (aff), e matando Wesker que antes consegue injetar a cura em Alice e “anula” seus super poderes.
Depois disso Alice vai para o Alaska procurar os refugiados que estariam seguros lá (RE 3), mas encontra apenas mais zumbis e uma Claire Redfield muito louca atacando ela.
Alice então vai para Los Angeles em um avião “teco-teco”, com Claire amarada no banco do passageiro, e acaba pousando em uma prisão onde encontra alguns sobreviventes refugiados, incluindo Chris Redfield (Wentworth Miller). Com isso ela descobre que na verdade Arcadia não era um lugar seguro no Alasca, e sim um navio que provavelmente passou por lá e que era um lugar com outras pessoas e que ainda podia ser seguro. O problema está em como sair da prisão que está cercada de zumbis, incluindo um muito simpático Executador com um machado gigante forçando o portão da prisão para entrar.
Não vou estragar a surpresa de falar como os problemas foram resolvidos, mas ao sair eles vão para Arcadia e encontram ninguém menos que Wesker, que comandava o navio. A luta então começa com Chris, Claire e Alice contra o super Wesker (essa última luta foi inspirada em um dos últimos confrontos do jogo Resident Evil 5).
Mesmo com boas atuações e cenários levemente mais escuros o filme deixa muito a desejar no quesito terror, passando a ser em grande parte do tempo um filme de ação, saindo totalmente fora da proposta original de Resident Evil.
E infelizmente nesse filme os produtores decidiram sem menos descarados e não deixaram a Milla Jovovich nua (eu assisti esse logo que saiu em 2010, caso tenha uma cena dela nua me perdoem por esquecer). Esse é o único filme da saga que isso acontece até agora.
Resident Evil: Retribuition

 

Resident Evil 5: Retribuição
Ano de Lançamento: 2012
Gênero: Terror
Resenha:
O filme começa com a Umbrella atacando o Arcadia logo após o final de RE Afterlife. Alice é capturada e presa em uma das instalações da Umbrella, e adivinhem: sim ela acorda sem roupa e sendo interrogada por Jill Valentine.
No filme eu não me lembro de ser explicado o que aconteceu com Jill, mas eu vou explicar aqui pra quem ficou boiando no filme. No jogo Resident Evil 5 são mostrados flashs de memória de Chris Redfield que tinha ido junto com Jill investigar uma mansão em que a Umbrella operava. Lá encontraram Albert Wesker e depois daquela conversa clássica eles começaram a luta, sendo que no fim quando parecia que Wesker tinha vencido, Jill o agarrou e pulou com ele pela janela caindo em um penhasco abaixo da mansão. Isso é claro que não afetou Wesker, mas quase matou Jill que só sobreviveu graças a Wesker que tinha planos para ela. Wesker saiu sangrando da queda e o vírus em seu sangue afetou Jill fazendo ela perder a pigmentação do cabelo deixando ela loira e com um dispositivo em forma de aranha (que pode ser visto no filme) Jill ficou sob controle da Umbrella.
Prosseguindo com o filme, Alice começa a ser interrogada de maneira bastante delicada por Jill, mas depois de uma falha na segurança Alice consegue escapar da sala. Logo ela descobre que quem estava por trás da quebra de segurança era nosso amiguinho Wesker que havia saído da Umbrella, trazendo Ada Wong para ajudar Alice na fuga da sede da Umbrella.
Acontece que não é tão fácil fugir desta vez já que essa sede tem dimensões absurdas e máquinas de hologramas que recriam os maiores centros pré-apocalipse (como Tokyo e Nova York por exemplo).
Como reforço também aparecem Leon Kennedy (finalmente), Luther West e James Shade. Graças às cidades holográficas infestadas de zumbis os cenários mudam a toda hora o que da um ritmo ainda maior de ação ao filme (que não é mais terror desde o segundo e olhe lá). A adorada Rainha Vermelha volta nesse filme e dá um prazo limite para que Alice e Ada consiga escapar dali antes de ficar presa ao melhor estilo RE 1. Também temos a volta de Rain Ocampo (Michelle Rodriguez) lá do primeiro filme e que dá muita dor de cabeça nesse. Eu já disse isso nos outros filmes, mas Resident Evil Retribution é um bom filme de ação mas nunca pode ser chamado de filme de terror e ai está o grande erro de Resident Evil.
[Spoiler Alert] No final uma luta entre Jill e Alice acaba acontecendo e Alice acaba conseguindo destruir a aranha que controlava Jill com lavagem cerebral, mesmo depois de tomar um pau.
Ponto para os produtores que finalmente colocaram o personagem Leon Kennedy nos filmes (acredito que Leon é um dos personagens mais queridos de todos os jogos RE, sendo protagonista no RE 2, RE 4 e RE 6), mesmo com um papel tão secundário, pelo menos marcou presença.
Esse último Resident Evil repetiu os erros de RE Extinction e Afterlife, com mais momentos de ação e tiroteios do que momentos de tensão e sustos, o que faz com que seja um pouco decepcionante. Por outro lado as atuações, cenários e tudo que eu já citei anteriormente são ótimos, sendo realmente o maior pecado do filme a falta de terror.
Resident Evil (6)
Ano de Lançamento: Previsão para 09/2014
Gênero: Terror
O diretor do filme já anunciou que este provavelmente será o último filme da franquia Resident Evil. Também será o filme com maior orçamento até agora chegando a 75 milhões de dólares (10 milhões mais caro que o último filme). A trama vai voltar para a mansão onde tudo começou no primeiro filme, com Alice e o resto da galera (Jill, Leon, Claire, Chris, Ada, Wesker e etc) voltando lá para acabar com a Umbrella de uma vez por todas. Ele garantiu que este será o melhor filme da saga até agora (espero que sim porque os últimos foram frustantes). E os fãs podem se preparar para ficar muito desapontados porque o próprio diretor afirmou que personagens irão morrer nesse filme (então vamos cada um torcer para não ser os nossos favoritos).
Saga Resident Evil:     
Resumão e Avaliação Final: Eu não vou dizer que os filmes de Resident Evil são ruins como muitos fazem por ai, até porque as atuações são boas de forma geral, tem uma boa trilha sonora, cenários ótimos e grandes efeitos. O grande pecado de Resident Evil foi esquecer que os fãs esperam filmes de terror assim como os jogos (apesar que os jogos também estão sendo criticados pela falta de terror ultimamente) e não ação desenfreada com tiroteios muito loucos o tempo todo e super poderes adquiridos pelo T-Vírus. É uma boa história para acompanhar desde o primeiro filme, mas não espere nada assustador depois do segundo filme (na verdade pra quem é fã de filmes de terror não espere nada assustador em nenhum dos filmes). Monstros e cenas marcantes em todos os filmes, mas que acabam desapontando um pouco os fãs, por sair tão fora do esperado terror.